IMT alugou frota de carros que não sai do lugar

Os inspetores do Instituto da Mobilidade e dos Transportes (IMT) vão para ações de fiscalização em carros com mais de 15 anos, quando existe uma frota alugada que fica estacionada à porta da sede do organismo.

À porta da sede do Instituto da Mobilidade e dos Transportes (IMT), em Lisboa, estão estacionados, diariamente, pelo menos três carros, que fazem parte de uma frota que aquele organismo recebeu em outubro, em regime de aluguer operacional de viaturas.

Contudo, ainda que o Estado desembolse, por mês, 300 euros por cada Peugeot 208 com matrículas de setembro de 2014, os inspetores continuam a deslocar-se em automóveis com mais de 15 anos e 100 mil quilómetros, segundo indica o Público.

Além dos já referidos, dois automóveis começaram recentemente a ser utilizados para deslocações em ações de fiscalização, mas apenas pontualmente e mediante requisição.

Sabe-se que após o término de um contrato de aluguer operacional de viaturas, no final de 2013, e da entrega dos veículos, o IMT mandou reparar dois com mais de 15 anos e passaram a ser usadas viaturas antigas ou solicitadas a outros departamentos. O que não se sabe é o motivo para os novos carros estarem estacionados e não circularem.

Em resposta ao Público, o organismo fez saber que “tem ao serviço uma frota de viaturas em perfeitas condições de circulação e que são as necessárias ao cumprimento das suas atribuições, nunca se tendo verificado, em algum momento, qualquer impedimento na sua utilização de acordo com as necessidades dos serviços. Acresce referir que, para a aquisição de viaturas em regime de AOV, o IMT, à semelhança de qualquer serviço da administração central indireta do Estado, enquadra-se no sistema de compras centralizadas, o qual é gerido pela Agência Nacional de Compras Públicas”.

Menu